quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Os "vilões" da combustão

Desde a Revolução Industrial, a humanidade tem liberado para a atmosfera grandes quantidades de dióxido de carbono por meio do consumo de combustíveis fósseis, tais como o carvão, o petróleo e seu derivados e o gás natural. Além dos combustíveis fósseis, e particularmente no Brasil, as queimadas de florestas e outras vegetações contribuem para aumentar ainda mais as emissões de dióxido de carbono.










Qual o significado de tudo isso ?

O sol é a fonte de todos os fenômenos que ocorrem na atmosfera, na superfícei da Terra e no solo. A camada de ar que envolve nosso planeta, a atmosfer, permite a passagem da radiação solar e absorve grandeparte do calor emitido pela Terra. Esse relacionamento entre a Terra e alguns gases, presentes no ar, é chamado efeito estufa. O nome é esse porque o controle da temperatura da superfície da Terra é feito de forma análoga à de uma estufa para plantas.



No nosso planeta, uma camada de gases retém parte da energia que a terra recebe do sol e esse processo garante a manutenção da temperatura da superfície em condições adequadas à conservação da vida.
Se a Terra não fosse coberta por um manto de gases, a atmosfera, seria demasiado fria para a vida. Até onde se sabe, alguns gases que se misturam com o ar são os responsáveis pelo efeito.
O dióxido de carbono é o príncipal responsável pela presença do efeito estufa, contribuindo com o mais elevado percentual na formação do fenômeno. Além do dióxido de carbono, o vapor d'água, o metano, o ozôno, o óxido nitroso e os fréons, presentes na atmosfera, contribuem para o aumento da temperatura na superfície da Terra. Os gases responsáveis pelo efeito estufa são também conhecidos como gases estufa.



 A concentração de dióxido de carbono na atmosfera tende a crescer e, com isso, aumenta a retenção de calor pelo efeito estufa.
A tendência mais evidente que daí resulta é a elevação da temperatura na superfície terrestre, o que deverá resultar em mudanças climáticas.


Fonte: Livro de Ciências

Exemplo de uma Reação de combustão


video




Linguagens e códicos da química

Símbolos, fórmulas, tabelas, gráficos e as relações matemáticas, nada mais são do que a própria forma com que aqueles que fazem a biologia, a física, a química e outras ciências se expressam, isto é, comunicam o conhecimento que conseguiram produzir.
Aqui vai um resumo de tudo isso:

1. A combutão é uma reação química.
2. Uma reação química é umm processo em que novas substâncias são formadas a partir de outras.
3. Substâncias orgânicas podem ser queimadas, ou seja, podem produzir novas substâncias quando submetidas às condições de combustão.
4. A presensa de Oxigênio é essencial em uma reação de combustão.
5. Na combustão completa, os combustiveis se transformam em dióxido de carbono e água.
6. A reação de combustão produz energia, em geral, energia termica.
7. Numa reação química, emquanto um produto inicial é consumido, outros estão sendo formado.

Fonte: Livro de Ciências.

Lavoisier e a teoria do flogisto

Explicar o fenômeno da combustão ocupou os químicos durante muitos Até o final do século XVII, a combustão era explicada pela teoria do flogisto, acreditava-se que toda substância combustível continha um princípio inflamável, denominada flogisto. Na combustão, o flogisto se disprendia, com acompanhamento de luz e calor e ficava um resíduo, chamado de "cinza" ou "cal", dependendo do material que estivesse sendo queimado.
Eles afirmavam que o corpo perde o flogisto quano entra em combustão e um corpo que não queima é provido de flogisto. Quanto mais inflamável eram um material, mais flogisto ele tinha.
Entretanto, a teoria do flogisto não coseguia explicar várias observações que o cientistas faziam, principalmente quando o que estava sendo queimado eram metais.
Nesse caso, cada cientista dava uma explicação e isso acabou para evidenciar que a teoria tinha falhas importantes.
Ao estabelecer a verdadeira natureza da combustão, Lavoisier "derrubou" a teoria do flogisto com suas experiências, ele mostrou de modo indiscutível que o fenômeno da combustão, amplamente escutadas até então, estavam ligadas a presença de um componente do ar. Os estudo permitiram concluir que a combustão era, na verdade, uma reação com oxigênio contido no ar atmosférico.
Assim ficou demonstrado que carvão, olhos vgetais e até metais reagem com oxigênio, formando outros materias e liberando energia. Essa demonstração levou os químicos ao abandono da teoria do flogisto e a total revisão dos conceitos da época.

Fonte: Livro de ciências

A primeira reação

A mais antiga manifesta homem reação da combustão é o fogo. O homem primitivo o utilizava e o conhecia, mas não sabia como provocá-lo! Vivia na espera por algum incêndio acidental provocado por algum raio ou pelas partes secas das ávores. A primeira coisa que ele aprendeu foi a manter o fogo, isto é, nossos ancestrais sabiam alimentar com galhos e folhas secas um fogueira iniciada acidentalmente. O méodo de alimentar o fogo mudou muito pouco nos últimos 500 mil anos, não é mesmo?
É possível que a combustão tenha sido a primeira reação química que o homem conheceu. Sua história é antiga, continua em nossos dias e vai atravessar os tempos. Novos materiais combustíveis, novas máquinas, o carvão mineral, o automóvel e a exploração comercial do petróleo. Consequencias? Há sim. Cosumo elevado de combustíveis, sérios problemas na qualidade do ar, mudanças climáticas, entre outros. Combustão, que problema!

Fonte: Livro de ciências